25 de jan de 2010

Olá!
Matéria muito legal sobre as crianças e a internet. Tirado daqui.

Fazendo arte no computador
No vasto mundo online, o seu filho vai encontrar uma infinidade de passatempos
Por Patrícia Rodrigues
No vasto mundo online, o seu filho vai encontrar uma infinidade de passatempos.

É um encanto ver seu filho dar os primeiros passos no mundo virtual, não? Mas não deixe de colocar algumas rédeas nesse navegante. O computador, você sabe, não passa de um meio para os pequenos desenvolverem novas habilidades. Mas o excesso acaba isolando a criança de outras atividades, sem falar no risco de acessar conteúdos impróprios para sua faixa etária.

Portanto, nada de deixar o internauta mirim passar horas diante do monitor. Se você não sabe como agir, lembre-se de que a regra é a mesma adotada para o videogame e a televisão. "Como em tudo na vida, vale o bom senso dos pais", recomenda Léa Chuster Albertoni, psicopedagoga e terapeuta familiar da Unifersidade Federal de São Paulo. Segundo a especialista, é importante estabelecer um equilíbrio, impondo limites e normas quanto ao uso da máquina. "É preciso também determinar o tempo e para que finalidade o computador é utilizado", adverte.

Alguns sites da internet, por exemplo, estão repletos de atividades infantis, com jogos e materiais para colorir ou desenhar. Mas, enquanto a criança estiver online, é essencial usar filtros para impedi-la de acessar qualquer página.

Para uma internet segura

• O computador deve ficar num local da casa onde todos possam supervisionar a atividade da criança.

• Instale ferramentas e filtros para barrar sites com conteúdos impróprios.

• Mostre e visite com a criança as páginas desenvolvidas para o público infantil, mostrando as ferramentas próprias para sua idade.

• Desde cedo, ensine regras de segurança (não passar seu nome e endereço para sites que solicitam qualquer tipo de informação pessoal, por exemplo).

Onde navegar

• Sites que oferecem livrinhos de histórias com imagens grandes e pouco texto.

• Páginas que permitem desenhar e pintar na tela do computador ou que oferecem desenhos para imprimir e colorir depois.

• Vídeos educativos ou animações desenvolvidas para crianças.

• Jogos de encaixe, labirinto, quebra-cabeças de peças grandes e liga-pontos.

Praticadas no computador, essas atividades tendem a apurar a percepção visual e a orientação espacial. O uso do mouse e a observação da tela também estimulam a coordenação combinada dos olhos e das mãos.
Obs: No momento em que escrevo sobre coisa tão séria aqui para vcs, o Yuri está aqui a "pentear" meus cabelos, me por todos meus colares no pescoço, pede que eu levante o "sovaco" para passar o "dorante", e ainda diz q " a mamãe tá ficando bonitona!!!". Só uma foto pra vcs verem como eu estou linda!!!

21 de jan de 2010

Lista de material escolar...

Yuri está matriculado mais uma vez no pré escolar. Pra quem não lembra, ano passado o matriculei no SESC, mas a turma para a idade dele foi cancelada. Agora ele tem 4 anos completo, então dessa vez é garantido!! A lista de material escolar é enorme né? E pedem até papel higiênico!! Poxa vida!!
Mas eu não pretendo comprar tudo o que pedem não. Há muitas coisas desnecessárias. As aulas começam dia 8 de fevereiro. Poxa, estou ansiosa. Quero ver o pequeno indo pra escola, aprendendo a ler, escrever, aprontando todas. rsrsrs. E vai ser bom ele sair de casa, conhecer novos coleguinhas da idade dele, pois aqui em casa ele só tem a companhia do primo que já tem 10 anos e não ensina coisa boa pra ele. Vcs já devem imaginar...

Até a próxima, então!

Bjs

19 de jan de 2010

Mamãe, vc é um sorvete?

Há alguns meses atrás, estávamos Wilson e eu sentados no sofá assistindo TV. O Yuri chegou com a maior cara de sem vergonha e perguntou primeiro ao pai: Pai, vc é um sorvete? O pai disse que não. Ele veio até mim e fez a mesma pergunta. Eu, como queria prestar atenção na novela disse que sim. Ele simplesmente começou a lamber meu braço. O pai e eu não aguentamos. Caímos os três na risada!!
Menino aprende cada uma!

13 de jan de 2010

O gelógio!

O Yuri já pronuncia muito bem as palavras! Mas tem algumas que simplesmente não saem!! Comprei para ele uns livrinhos que ensinam o nome das coisas e de animais através de figuras e estou lhe ensinando, afinal mês que vem ele estreía na escolinha! Uma das palavras que ele não consegue pronunciar bem é relógio. Ele fala "gelógio". Eu insisti na pronúncia correta, mas saiu "lerógio", "lelógio" e "gelógio". Rsrs. Outro probleminha está na pronúncia do "r". só sai "l". Será síndrome do Cebolinha? rsrs. Acho que com mais treino ele acaba acertando. Pesquisei sobre o assunto e vi que realmente é normal a criança trocar estes fonemas até os cinco anos. Mas se passar dessa idade, um fonoaudiólogo deve ser procurado.

Mais informações aqui

Bjokas!!

11 de jan de 2010

Antes que elas cresçam

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

É que as crianças crescem. Independentes de nós, como árvores, tagarelas e pássaros estabanados, elas crescem sem pedir licença. Crescem como a inflação, independente do governo e da vontade popular. Entre os estupros dos preços, os disparos dos discursos e o assalto das estações, elas crescem com uma estridência alegre e, às vezes, com alardeada arrogância.

Mas não crescem todos os dias, de igual maneira; crescem, de repente.

Um dia se assentam perto de você no terraço e dizem uma frase de tal maturidade que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.

Onde e como andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu? Cadê aquele cheirinho de leite sobre a pele? Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços, amiguinhos e o primeiro uniforme do maternal?

Ela está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça. Ali estão muitos pais, ao volante, esperando que saiam esfuziantes sobre patins, cabelos soltos sobre as ancas. Essas são as nossas filhas, em pleno cio, lindas potrancas.

Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão elas, com o uniforme de sua geração: incômodas mochilas da moda nos ombros ou, então com a suéter amarrada na cintura. Está quente, a gente diz que vão estragar a suéter, mas não tem jeito, é o emblema da geração.

Pois ali estamos, depois do primeiro e do segundo casamento, com essa barba de jovem executivo ou intelectual em ascensão, as mães, às vezes, já com a primeira plástica e o casamento recomposto. Essas são as filhas que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias e da ditadura das horas. E elas crescem meio amestradas, vendo como redigimos nossas teses e nos doutoramos nos nossos erros.

Há um período em que os pais vão ficando órfãos dos próprios filhos.

Longe já vai o momento em que o primeiro mênstruo foi recebido como um impacto de rosas vermelhas. Não mais as colheremos nas portas das discotecas e festas, quando surgiam entre gírias e canções. Passou o tempo do balé, da cultura francesa e inglesa. Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas. Só nos resta dizer “bonne route, bonne route”, como naquela canção francesa narrando a emoção do pai quando a filha oferece o primeiro jantar no apartamento dela.

Deveríamos ter ido mais vezes à cama delas ao anoitecer para ouvir sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de colagens, posteres e agendas coloridas de pilô. Não, não as levamos suficientemente ao maldito “drive-in”, ao Tablado para ver “Pluft”, não lhes demos suficientes hambúrgueres e cocas, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas merecidas.

Elas cresceram sem que esgotássemos nelas todo o nosso afeto.

No princípio subiam a serra ou iam à casa de praia entre embrulhos, comidas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhas. Sim, havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de sorvetes e sanduíches infantis. Depois chegou a idade em que subir para a casa de campo com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma aqui na praia e os primeiros namorados. Esse exílio dos pais, esse divórcio dos filhos, vai durar sete anos bíblicos. Agora é hora de os pais na montanha terem a solidão que queriam, mas, de repente, exalarem contagiosa saudade daquelas pestes.

O jeito é esperar. Qualquer hora podem nos dar netos. O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco. Por isso, os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável afeição. Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso, é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que elas cresçam.

Affonso Romano de Sant'Anna

4 de jan de 2010

Mãe é mãe

Imagem retirada daqui.


Mãe não tem jeito.

Vemos que os filhos estão crescendo, mas simplesmente não queremos reconhecer! Yuri já fez 4 anos, mas eu olho pra ele e ainda vejo um bebê!! rsrs. Ele já é super independente! Já quer passar xampoo, se ensaboar durante o banho, escova os dentes só e diz: olha, mamãe, tá lindo meu dente! Mas de vez em quando a gente "se pega" porque eu quero dar banho, dar comida na boca e ele não aceita! E um absurdo! Por isso eu acho que vou ser como a mãe da charge mesmo! Hehehe! Mãe é mãe oras!
Mas mudando de assunto, ontem o Yuri me deixou muito orgulhosa ao pegar um de seus carrinhos de corridas e cortar a parte de cima com uma tesoura, transformando-o em um conversível. Achei impressionante sua criatividade. Pensei que ele estivesse apenas querendo destruir o carrinho, mas não, ele queria tirar a parte de cima pra que ficasse aberto. Eu disse a ele que ele era muito inteligente por ter feito um carro conversível e ele respondeu: sim, mamãe, eu fiz um carro "convencido". Rsrsrs. O pai também ficou adimirado! E agora, tudo que eu mando ele fazer ele respode: Sim, Sinhô, mamãe! E leva a mão à cabeça, batendo continência!

Eu mereço!

2 de jan de 2010

Ano novo!

Olá!! Feliz ano novo, galera!

Nossa passagem de ano foi muito tranquila, graças a Deus!! Primeiro fomos à igreja e depois voltamos para casa, onde já estava tudo preparado para a grande festa!!

Muito legal e tranquilo! Comi muitoooo! Tudo muito gostoso!

Ele não desgrudou do vídeo game nem pra tirar uma foto com a gente!!

Amor e eu!

Papais lindos!!

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails